Plástica Total

Dr. Edson Luiz Ohira
CRM 88.097 - Membro Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirgurgia Plástica

Lipoaspiração e Lipoescultura

Voltar para Cirurgias

O que é Lipoaspiração e Lipoescultura

A gordura do organismo está depositada nas células gordurosas (adiposas) as quais têm a capacidade de aumentar ou diminuir de volume de acordo com a quantidade de gordura absorvida no seu interior.


Várias partes do corpo servem de acúmulo para estas células. A maior parte dessas células deposita-se no subcutâneo (região abaixo da pele), porém outras regiões como o interior da cavidade abdominal também servem de depósito para elas.


O grau de adiposidade de uma pessoa depende principalmente de dois fatores:


  • Genético: algumas famílias possuem predisposição a engordarem mais.
  • Alimentação: um mau hábito alimentar pode desencadear a obesidade de acordo com o acúmulo maior ou menor de gordura.

No final da década de 70, um francês chamado Illouz, relatou um método de retirada de gordura localizada através de um procedimento denominado lipoaspiração.


A Lipoaspiração é atualmente a cirurgia estética mais realizada no mundo e não é um tratamento para a obesidade. Serve sim para retirar acúmulos de gordura localizada em determinadas regiões do organismo.


A Lipoaspiração é perfeitamente indicada para pessoas de ambos os sexos. É consenso, na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que o volume total de gordura a ser retirado por sessão, não ultrapasse a 5 a 7% do peso corporal. Seu cirurgião deverá lhe esclarecer detalhadamente sobre o volume ideal para o seu caso.


Quando falamos em Lipoescultura, trata-se de utilizar a gordura retirada na lipoaspiração para preenchimentos de defeitos (nos buracos formados pela celulite, por exemplo) ou aumento das formas do paciente, ou seja, uma verdadeira escultura do corpo. Parte dessa gordura poderá se reabsorver.


É impossível se prever o percentual de permanência dessa gordura; entretanto, são dedicados cuidados especiais no tratamento dessa gordura, a fim de propiciar maior possibilidade de sucesso.


Tanto para a Lipoaspiração quanto para Lipoescultura os casos mais indicados são para homens e mulheres saudáveis em boa forma física, que já corrigiram o excesso de peso tem bons hábitos alimentares e praticam exercícios físicos. Não é indicado para tratamento de excesso de peso.


Lipoaspiração é um tratamento para melhorar a silhueta corporal e não tratamento de excesso de peso. A Lipoaspiração / Lipoescultura ajuda a recuperar a forma, e quanto menor a quantidade de gordura a ser retirada, melhores serão os resultados.

Como é Feita a Lipoaspiração/Lipoescultura

A Lipoaspiração consiste em uma Cânula metálica no subcutâneo. A cânula recebe uma pressão negativa, uma sucção, e enquanto o cirurgião realiza movimentos, que liquefazem a gordura, a sucção a retira do corpo. Este princípio simples é à base de uma revolução na cirurgia estética.


À medida que a cânula é movimentada no interior da zona de acúmulo de gordura, esta é absorvida para dentro da cânula e retirada do subcutâneo. Desta maneira, com esta cirurgia existe a possibilidade de retirar maior ou menor quantidade de gordura do interior das zonas de depósito exagerado.


É bom lembrar que a Lipoaspiração não resolve problemas de estrias, flacidez de pele ou de cicatrizes.


Deve ser feita em hospital, e normalmente sob Anestesia Peridural com Sedação. Em alguns casos pode ser feita com a Anestesia Geral.


As regiões tratadas geralmente ficam com hematomas, e recomenda-se a utilização de Cintas Modeladoras com o intuito de se diminuir o sangramento e o inchaço pós operatório. Indicam-se sessões de Drenagem Linfática associada ou não a outros tratamentos estéticos.


O resultado também depende de alguns fatores, que incluem a qualidade da pele do local a ser aspirado, quantidade de gordura, idade do paciente, sexo, cor, gestação prévia, região do corpo, peso do paciente.

Riscos da Lipoaspiração

Esta cirurgia é realizada aos milhares através de todo o mundo, e bons resultados devem ser esperados, entretanto, alguns riscos devem ser considerados.


Complicações pós-operatórias como infecção e tromboembolias são raros, mas podem ocorrer. A infecção, muito rara, se ocorrer, pode ser tratada com drenagem e antibióticos, mas prolongará o tempo de hospitalização e custos.


Parar de fumar um tempo antes do procedimento minimiza riscos de complicações de pele e pulmonares no ato cirúrgico.


Para diminuir riscos, a orientação do cirurgião deve ser seguida rigorosamente antes e depois do procedimento.


Os maiores riscos são proporcionais ao maior volume total de gordura retirado e os resultados são tanto melhores, quanto menos gordura se retirar.


Infecções, embolia gordurosa, anemia e perda excessiva de fluidos também estão associadas a volumes muito grandes de gordura a serem eliminados, assim como infusão de líquidos em excesso ou toxicidade ao anestésico local.


Outro problema relacionado à retirada de grandes volumes de gordura é a falta de retração da pele, deixando ondulações, o que tem menores chances de ocorrer em cirurgias que retiram volumes menores. Peles muito flácidas também retraem pouco e sua presença deve ser considerada na escolha do tratamento.


A consulta médica inicial é o momento mais importante a minimizar riscos e determinar o sucesso em qualquer procedimento cirúrgico.




Plástica Total

Dr. Edson Luiz Ohira

Unidade Santa Cruz - Clínica Pró-Mulher - Rua Loefgreen, 1425 - Vila Clementino - São Paulo - SP - Tel: (11) 5908-4100 / 5573-6826
Unidade Paraíso - Homa Espaço Médico – Rua Eça de Queiroz, 488 – Paraíso – São Paulo – SP – Tel: (11) 5088-6699

Libero +